Como diminuir o estresse em cães idosos | Optimum

Política de cookies

Usamos os cookies (proprietários e de terceiros) para ajudar você a navegar em nosso website e colher informações relacionadas ao uso do próprio website.
Ao acessar nossas páginas, você concorda com o uso dos cookies. Para mais informações sobre cookies, ou se não concorda com isso, consulte nossa Política de Cookies.

Voltar a listagem

Diminuir o estresse em cães idosos

Seu cachorro idoso não quer comer ou está agindo de forma diferente e mais agressiva, nos últimos tempos? Preste atenção, pois ele pode estar passando por um período estressante.

Assim como os seres humanos, os animais também ficam nervosos ao enfrentar ocasiões e lugares desagradáveis, mas eles não sabem administrar as emoções muito bem e, por isso, precisam da nossa ajuda.

O estresse costuma ser mais recorrente em cães que vivem em cidades grandes ou apartamentos pequenos e passam a maior parte do dia sozinhos, no ambiente interno.

Além de causar mudanças inconvenientes de comportamento, como latidos e mordidas em excesso, o estresse também pode prejudicar o bem-estar do animal, interferindo na pressão arterial, imunidade e frequência cardíaca, além de outras complicações de saúde.

Para garantir uma boa qualidade de vida para seu companheiro nessa e em todas as fases da vida, preparamos uma lista com sete cuidados com cães idosos que você precisa ter no dia a dia para diminuir o estresse.

1. Identifique a fonte de estresse

Quem convive com o cachorro há mais tempo, certamente, já conhece as situações que o deixam irritado. Entretanto, é sempre bom ficar alerta aos sinais que podem indicar que o seu amigo está sob o efeito de estresse, como:

  • Falta de apetite;
  • Queda de pelos;
  • Dificuldade para descansar;
  • Medo;
  • Agressividade;
  • Mordidas;
  • Latidos sem razão aparente;
  • Hiperventilação.

Esses comportamentos podem ser desencadeados por sons muito altos (como os de trovão, fogos de artifício ou buzina), falta de atividades, movimentações atípicas no ambiente e outras situações que deixam o cão idoso desconfortável.

2. Pratique exercícios

Cão brinca tentando alcançar um galho que seu dono está segurando. Ambos estão em um parque esverdeado.

 

A falta de exercícios e o excesso de tempo dentro de casa são duas das principais fontes de estresse canino. Por isso, é interessante apostar em uma rotina um pouco mais agitada, com passeios e brincadeiras ao ar livre. Sempre respeitando o limite do seu cão.

Ao invés de expô-lo a situações desconfortáveis, leve-o para uma caminhada, mesmo que seja pelo quarteirão. A atividade o deixará mais calmo e facilitará a adaptação a novas pessoas, animais, sons e cheiros.

3. Mantenha a calma

Esse conselho serve para o cão e para você. Os animais possuem a capacidade de absorver o humor de seus tutores. Se você estiver passando por um momento de agitação e estresse, isso pode ser transmitido ao cachorro idoso.

Por isso, é importante fugir da irritação antes mesmo da sua chegada. Quando notar que você ou seu companheiro está ficando nervoso, faça uma pausa e crie alguma distração. Evitar discussões, brigas e gritarias também contribui para um ambiente confortável e tranquilo.

4. Conforte seu cão

Uma mulher está deitada em sofá, com cão deitado em seu colo. Ambos estão em uma sala comum. A mulher usa uma blusa amarela.

Ninguém gosta de passar por situações incômodas e com os animais não é diferente. Nos momentos difíceis, lembre-se de ser gentil e fazer carinho no seu cão. Esse apoio não o deixará mimado, mas passará confiança e segurança para ele.

5. Crie um ambiente confortável

Um tempo para relaxar pode ser exatamente o que seu cachorro idoso precisa para ficar tranquilo. Para isso, separe um cômodo silencioso da casa para ele. Providencie também água, comida, cobertas e brinquedos, para que ele possa ficar sozinho e descansar quando sentir necessidade.

6. Invista em brinquedos

Um homem adulto e uma garoto brincam de frisbee com um cão em um campo com grama e árvores.

Como falamos no segundo item, as atividades físicas são essenciais para evitar o estresse, e os brinquedos são ótimos aliados nesse momento, principalmente se o cachorro passa muito tempo sem companhia.

Nas lojas e sites para animais, há diversos itens interativos que estimulam a movimentação e os instintos naturais do pet, como bolinhas e dispensers para ração, que unem a diversão e a alimentação.

Você também pode utilizar as rações OPTIMUM™ para cães adultos para criar outras brincadeiras, como um caça ao tesouro: basta esconder um pouco de ração pelos cômodos da casa – seguindo a quantidade recomendada para uma dieta balanceada – e acompanhar a busca junto com seu cão.

7. Consulte um veterinário

Além de tentar diminuir o estresse com dicas de rotina, é fundamental apostar na ciência e ouvir a palavra de um expert no assunto. Ao notar comportamentos nervosos e irritações, leve seu companheiro ao hospital veterinário e converse com um profissional para encontrar as possíveis causas do problema.

Com o diagnóstico certo, o tratamento será mais fácil e rápido. Além disso, o veterinário encontrará novas formas de adaptar a rotina para que seu cachorro passe pela fase idosa de forma tranquila e agradável.

 


Gostou do conteúdo? Acesse nosso blog e conte com o auxílio de especialistas para saber tudo sobre cuidados com cães!

Dra Jakeline P. Zanon | CRMV xxxx

Nutrição, Dermatologia e Felinos

Graduada pela USP | Mestre em Nutrição pela UFRJ | Doutora em Dermatologia pela Unicamp | PhD em Felinos pela UFMG Integrante do Corpo Clínico do Hospital Petcare desde 2010

Nossos produtos

Sobre OPTIMUM™

OPTIMUM™ chegou com o compromisso do aproveitamento máximo. Isso porque a receita de OPTIMUM™ possui BIOAVAILABILITY: compromisso em entregar uma excelente absorção de nutrientes. Os pets aproveitam o máximo do alimento, para aproveitarem o máximo da vida com você.

Conheça WALTHAM

Os produtos OPTIMUM™ foram desenvolvidos seguindo as recomendações de WALTHAM, a maior autoridade mundial em nutrição, cuidado e bem-estar animal.